Se pensa que Neuromarketing é apenas uma estratégia de marketing, está muito enganado. Mas sim uma maneira de estudar o comportamento humano através de seu entendimento de processamento de informações pelo seu cérebro. Ou seja, como ele capta, entende e interpreta as informações ou mensagens que são lhe passadas.

O neuromarketing é a mistura entre a Neurociência e o Marketing. Onde, seu principal objetivo, é entender o que faz um consumidor escolher uma marca, tomar decisões de compras e ser tornar fã de uma empresa, produto ou serviço.

Para os profissionais de marketing que acreditam nos tradicionais estudos de mercado e suas pesquisas, saibam que eles apenas mostram a ponta do iceberg. Pois nosso sistema nervoso utiliza uma forma eficiente para validar nossas escolhas, tirando assim a necessidade de reflexão a cada tomada de decisão. Portanto, se você se baseia todas suas ações em uma pesquisa de mercado, saiba que você terá apenas a resposta sobre aquilo que as pessoas “acreditam” que as influencia.

Você deve estar se perguntando: como assim elas apenas acreditam?

Sim, porque na verdade esse quem neste momento está falando é o Neocórtex que faz parte Cérebro Trino (de MacLean). Este (Neocórtex) é responsável por desenvolver o nosso pensamento abstrato e tem capacidade de gerar invenções, assim como:

  • Projetar e planejar decisões;
  • Fazer análises racionais;
  • Programação de necessidades individuais;
  • Uso da lógica matemática;
  • Controla as sensações gustativas;
  • Faz o processamento da memória;
  • Compreende os dados da informação visual.

Porém, na hora da tomada de decisão quem influencia bastante é o Sistema Límbico, que regula todas as nossas interações químicas referentes a sensações, emoções e sentidos. Ou seja, quando uma ação de marketing induz ao emocional esta parte do cérebro (Sistema Límbico) é quem decide a compra.

Neurociência

O estudo do Neuromarketing inclui a Neurociência, pois usa somente com o recurso tecnológico da ressonância magnética podemos descobrir quais estímulos afetam e principalmente, quais partes do cérebro são usadas. E por último, como essa resposta pode ser relacionada ao comportamento desejado.

O marketing entra neste processo para usar esse estímulo específico com o intuito de provocar o mesmo comportamento no consumidor. Sendo assim:

  • Gerando necessidades;
  • Criando fidelidade a uma marca ou produto;
  • Aumentando desejos;
  • E principalmente o consumo.

Resumindo podemos dizer que as marcas usam esses conhecimentos, seja através de símbolos, cores e até mensagens subliminares para provocar no consumidor o efeito desejado.

Gatilhos mentais

Através destas informações são usados gatilhos mentais na estratégia de Neuromarketing para ajudar no poder convencimento do consumo de determinando produto ou marca. Por exemplo, as empresas usam de artifícios atrativos como as promoções imperdíveis e a escassez de oportunidades.

Os gatilhos metais são diretrizes que o nosso cérebro adota para não precisar fazer todo um trabalho de reflexão a cada tomada de decisão, de forma extremamente persuasiva. Por isso, eles (gatilhos mentais) ultrapassam a barreira do Neocórtex e vão direto para o Sistema Límbico, engajando e motivando as pessoas para a ação.

Neuromarketing na prática

Quando falamos em aplicar o neuromarketing, não significa que você terá de investir em estudos caros e demorados.

É possível encontrar muitas descobertas que podem ser bastante interessantes e viáveis para você e o se negócio.

Com um maior conhecimento do cérebro, é possível, através do neuromarketing. Se utilizar de estratégias de marketing que acionam as partes límbica e reptiliana do cérebro, responsáveis pelas emoções.

Diversas marcas usam dessas estratégicas, seja através de símbolos, cores e até mesmo mensagem subliminares.

Em suma, algumas dessas estratégias são:

R

Imagens são melhores que os textos

Os conteúdos visuais são os preferidos da maioria das pessoas. E, sem dúvida, isso se deve ao fato de compreendermos imagens com muito mais facilidade do que palavras.

Quer fazer com que a sua mensagem se destaque? Então use uma imagem relacionada para trazer a força da persuasão. Ou seja, a foto do próprio produto que você deseja vender ou até mesmo sintetize visualmente o conceito da sua mensagem. Quanto mais agradável aos olhos e mais direta a mensagem, melhor.

R

Imagens de pessoas bonitas

Somos seres sociáveis e interagimos com muitas pessoas durante o nosso dia a dia. Mas como não resistir a um rosto bonito trocando olhares e sorrindo para você?

Rostos de pessoas felizes e bebês olhando diretamente para você atraem muito a nossa atenção. Portanto, seja esse rosto do sexo masculino ou feminino, temos uma tendência a corresponder ao olhar dessa pessoa.

R

Psicologia das cores

Cada uma das cores nos causam diversas reações e afetam nossas emoções de uma maneira completamente diferente. Sendo assim, grandes aliadas de estratégias de marketing baseadas no neuromarketing.

Quando você sabe o efeito que deseja causar no seu público, poderá escolher quais as melhores cores para usar em seu logotipo, no design do seu site, na identidade visual dos seus produtos e em qualquer outra forma de comunicação.

As pessoas fazem um julgamento subconsciente sobre um ambiente ou produto dentro de 90 segundos após a visualização inicial. Em torno de 62% dessa avaliação é baseada somente nas cores.

R

Melhor não perder do que ganhar

Você prefere ganhar R$ 1.000,00 ou deixar de perder R$ 1.000,00? Parece simples, mas não é!

Através do Neuromarketing, descobrimos que a grande maioria das pessoas preferem não perder essa quantia a ganhar. Ou seja, o risco da perda é mais forte que a ambição da conquista.

Portanto, se for fazer uma promoção, mostre o quanto o seu cliente está deixando de perder e não ganhando em vantagens. Pois, a sensação de satisfação de não perder é maior do que o sentimento da conquista.

R

Gatilho da escassez

Partindo da estratégia acima, onde o medo de perder é maior que a vontade de ganhar. Obtemos uma outra estratégia muito interessante, é o gatilho da escassez.

As pessoas costumam dar mais valor àquilo que é escasso e não querem correr o risco de ficar sem. Desta forma, quando a oferta é escassa ou limitada, gera-se a sensação de perda da oportunidade ou ausência de algo que julga importante. Isso ajudará a encorajar a decisão de compra.

R

Layout das fontes da sua comunicação visual

Em estudos de Neuromarketing, foi descoberto que fontes mais simples e de fácil leitura são mais assertivas no processo de conversão de clientes. Pois, com uma leitura rápida e clara, o cliente se sente mais confiante e automaticamente mais convencido a comprar.

Portanto, é recomendável a análise da usabilidade do seu site para navegação, fontes e palavras utilizadas. Uma vez que quanto mais simples é a compreensão do conteúdo, maiores são as chances de conversão.

R

Ancoragem de preços

O preço é um fator fundamental para a finalização de um processo de compra. Portanto, a primeira informação que ele recebe a respeito disso pode fazer a diferença entre a compra ou não.

Estudiosos de neuromarketing descobriram uma falha no funcionamento da mente. Onde mostra-se que os seres humanos não são muito bons em avaliar produtos e serviços com base no seu verdadeiro valor. Ou seja, para avaliar se algo é caro ou barato, usamos a comparação. Tornando, desta forma, a ancoragem de preços uma estratégia importante para as suas vendas.

Suponhamos, em suma, que você tenha vários produtos para oferecer a seus clientes e decide fazer um pacote especial com todos eles. Para alavancar suas vendas, você pode mostrar o preço de cada um deles separadamente e qual o valor final de investimento a pessoa teria que fazer para comprar todos.

Logo após, você oferece um preço mais baixo do que esse, fazendo uma ancoragem de preço com seus próprios produtos. No entanto, é possível fazer ancoragem com os preços dos seus concorrentes, oferecendo um bônus que nenhum deles dá. Desta forma, os clientes irão perceber que sua oferta tem um melhor custo x benefício e provavelmente irão optar por comprar com você.

R

Confie no seu cliente para ganhar a confiança dele

Relacionamento são baseados em confiança, concorda? Portanto, seus clientes e prospects precisam confiar em você. Para isso, é recomendável que você demonstre confiança primeiro e, por conta do gatilho da reciprocidade, eles naturalmente irão confiar em você.

Você, certamente, está perguntando: e como isso pode ser feito? É simples. Dentre as diversas formas, podemos oferecer períodos maiores de troca ou arrependimento maior que a concorrência, ofereça descontos “especiais” ou outras formas de pagamento. Ensine-o como aproveitar mais o produto ou serviço que está adquirindo. Assim, ele perceberá um elo seguro e confiável entre cliente e vendedor.

Exemplo de pesquisa de Neuromarketing

Foi feito um estudo de Neuromarketing entre duas grandes marcas concorrentes, a Coca-Cola e a Pepsi. Nele participaram 16 pessoas que tiveram seu cérebro monitorado por aparelhos durante um teste cego, ou melhor, com olhos vendados. Neste teste havia copos cheio com refrigerante das duas marcas para as pessoas escolherem qual delas preferiam.

De cara, metade das pessoas afirmaram preferir a Pepsi. Porém esse número caiu para ¼ (4 pessoas) quando os participantes foram avisados de que as bebidas por eles experimentadas eram da marca Coca-Cola, e não da Pepsi como imaginavam.

Isso ocorre porque quando os participantes escolheram sua bebida favorita sem saber a qual marca pertenciam, o centro de recompensa do cérebro foi acionado. Mas, no entanto, quando os indivíduos sabiam quais delas eram de Coca-Cola, a atividade cerebral mudou. Portanto, neste momento foi incluído as partes do cérebro responsáveis por controlar as memórias e os ensinamentos culturais.

Com relação ao gosto a Pepsi e a Coca-Cola apresentaram o mesmo desempenho, mas a Coca-Cola ganha quando a sua marca está presente no processo de decisão. Pois, as pessoas associam muitos dos momentos felizes de suas vidas com a bebida. Este é justamente o foco da estratégia de marketing da Coca-Cola, utilizar desta memória o fator de decisão na hora da compra do produto.

Ainda tem dúvidas? Então confira o nosso vídeo sobre o que é Neuromarketing.

Aproveite e conheça nosso canal no YouTube!

Comentários

Comentários